ExcelsiorNet

Informe seu login e senha e acesse o sistema ExcelsiorNet.
Recuperar senha

Artigos

Por um Brasil Melhor

@Mucio Novaes (Presidente da Excelsior Seguros e Presidente do Sindicato das Empresas de Seguros no Estado de Pernambuco)

Ao assumir pela segunda vez, a Presidência do Sindiseg, constato que as ações do nosso Sindicato, permitiram-nos avançar e conquistar importantes espaços entre as entidades de representação empresarial da região Nordeste. A maioria de nossas associadas têm hoje uma área de atuação que vai de Alagoas ao Maranhão, região onde foi produzida em 2004, uma receita de quase 3 bilhões de reais, com o emprego direto e indireto de mais de 30 mil pessoas. O nosso Sindicato é assim uma entidade de caráter regional, cujas associadas estão instaladas no Recife, de onde operam para todo o Nordeste, e que têm em Pernambuco, o seu maior mercado de seguros, previdência complementar aberta e capitalização.

A indústria de seguros será um instrumento primordial para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Comungo assim da opinião do Prof. René Garcia, Superintendente da Susep, que afirma que os dois setores da economia brasileira com maior potencial de crescimento nos próximos anos, são o agronegócio e o seguro. Mantidas as atuais perspectivas de crescimento econômico e materializada a abertura do mercado brasileiro de resseguros, a participação do nosso setor deverá atingir até fins de 2007, a 6 % do PIB brasileiro, contra os 3,5 % de hoje. A soma dos investimentos das seguradoras chegará, ao final deste ano, a mais de 130 bilhões de reais, consolidando o setor como um dos maiores formadores de poupança de longo prazo do País. Estes ativos ajudam a financiar o crescimento da economia, criando empregos e gerando renda. A importância social do seguro é inquestionável. O seguro representa a garantia da continuidade da vida econômica de pessoas, de bens e de serviços. O seguro protege a saúde, o patrimônio e o futuro de milhões de brasileiros. Só no ano passado, na nossa região, as seguradoras devolveram à sociedade perto de 2 bilhões de reais em indenizações, benefícios e resgates.

Além da representação das suas categorias econômicas e da defesa dos interesses dos seus associados, a ação das entidades empresariais deve assumir uma postura política diante dos grandes temas que afetam o presente e o futuro do País. Temos procurado, sistematicamente, emitir a nossa opinião diante de decisões, que possam trazer conseqüências para a sociedade. Foi assim recentemente, quando o nosso Sindicato posicionou-se, junto à bancada federal de Pernambuco no Congresso Nacional, contra o aumento da carga tributária previsto na MP 232, e pediu “menos impostos, menos gasto público, mais investimentos, mais empregos, mais Brasil.”

A nossa região é este espaço mágico que transita das águas mornas e azul-esverdeadas do oceano ao solo quase sempre cinzento e seco do sertão, numa viagem entre o maravilhamento e a esperança. A história, a cultura e a economia do Nordeste foram vigas mestras na construção do Brasil. Aqui nasceu a nação. Mas é aqui que ainda perduram indicadores sócio-econômicos dos mais preocupantes, mas que podem ser revertidos a partir da ação conjunta do setor público e da iniciativa privada. Os pólos irrigados do Vale do São Francisco e o Complexo Industrial Portuário de Suape são provas incontestes disso. No momento, evidencia-se um conjunto de investimentos estruturadores, privados e públicos, que poderão mudar a face econômica e social do Nordeste, inclusive do seu semi-árido. E isto nos interessa. Quanto maior o volume de investimentos na região, mais crescimento econômico, mais empregos, mais renda e mais seguros. Mas não devemos esquecer: não haverá Nordeste ou Brasil desenvolvido e democrático, persistindo este quadro crônico de exclusão social. A democracia só será completa no Brasil quando houver educação de qualidade para todos, serviços de saúde eficientes e dignos, distribuição de renda, redução das desigualdades regionais e paz nas cidades e no campo. É preciso que a sociedade trabalhe sempre na busca destes objetivos, pois alcançá-los significará um Brasil melhor.

Perseguir com determinação os nossos sonhos, mesmo que eles pareçam, inalcançáveis ou utópicos, é tarefa que se impõe, porque chega sempre o dia em que o sonho amanhece real. O sonho de um Brasil melhor temos que buscá-lo, como já o fizeram: Frei Caneca, Joaquim Nabuco, Delmiro Gouveia, José Ermírio de Moraes, Josué de Castro, Gregório Bezerra, Paulo Freire, Hélder Câmara, João Cabral de Mello Neto e Barbosa Lima Sobrinho. E como hoje fazem: Pelópidas Silveira, Ariano Suassuna e João Carlos Paes Mendonça.

Para finalizar, uma imagem poética, quiçá fronteiriça da utopia, construída pelo senador Teotônio Vilela, que disse em uma de suas últimos falas: ”Eu sonho com o dia, em que nossas crianças chorarão lágrimas apenas de alegria.”

Outros artigos

Não encontrou o que precisa?

Envie suas dúvidas, críticas e sugestões atráves da sessão de contatos.

Acesse já
Mais de 70 anos de experiência
Atualmente em todo território Nacional
Única ativa com matriz no Nordeste

Fundada em 1943, a Companhia Excelsior de Seguros é uma empresa de abrangência nacional com forte atuação regional, sendo a única seguradora com matriz ativa no Nordeste.

0800 773 3103

Ouvidoria - São Paulo

Excelsior Seguros - Matriz | CNPJ 33.054.826/0001-92
Av. Marquês de Olinda, nº 175, Recife Antigo - Recife - PE
Fone/Fax: (81)3087-9200 / (81)3087-9262
Email: excelsior@excelsiorseguros.com.br